quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Governo altera prazos e investimentos de 16 projetos de mobilidade

29/07/2012 - Portal 2014

No total, seis cidades-sedes tiveram algum tipo de mudança; só Porto Alegre tem oito

BRT Cristiano Machado, segundo a Matriz, vai custar R$ 135,3 milhões (crédito: Sylvio Coutinho)

O Gecopa (Grupo Executivo da Copa), conjunto de ministérios que coordena os preparativos para a Copa de 2014, realizou nesta segunda-feira (30) mais uma alteração na Matriz de Responsabilidades. A atualização, publicada no Diário Oficial da União (DOU), traz mudanças em 16 das 51 obras de mobilidade urbana previstas para a Copa 2014.

No total, seis cidades-sedes tiveram algum tipo de alteração, seja no prazo de conclusão ou no investimento: Belo Horizonte, Cuiabá, Curitiba, Manaus, Porto Alegre e Rio de Janeiro. A capital gaúcha é responsável por metade das mudanças, com oito novos prazos e investimentos. 

Com exceção de duas obras --Corredor Avenida Tronco e Monitoramento dos 3 Corredores--, todas as intervenções relativas à mobilidade da cidade serão concluídas apenas em maio de 2014, a um mês da abertura do Mundial. O investimento do governo local nas obras de mobilidade passou de R$ 65,8 milhões para R$ 381,1 milhões. 

Belo Horizonte, com oito obras previstas até a Copa, teve três mudanças. O BRT Antônio Carlos/Pedro I será concluído cinco meses depois da última previsão, passando de maio para outubro de 2013. O mesmo ocorrerá no Corredor Pedro II. No BRT Cristinao Machado, a alteração foi no investimento: de 52,6 milhões para 135,3 milhões.

Das nove intervenções de Curitiba, duas terão investimentos maiores. A requalificação do Corredor Marechal Floriano passou de R$ 30,3 milhões para R$ 57,3 milhões. A obra das Vias de Integração Radial Metropolitanas, por sua vez, custarão 58,4 milhões, com acréscimo de R$ 21,9 milhões.

Cuiabá, Manaus e Rio de Janeiro sofreram uma mudança cada. No Mato Grosso, o investimento na obra Corredor Mário Andreazza passou de R$ 32,6 milhões para R$ 46 milhões. Na capital amazonense, a mudança ocorreu na data de início dos trabalhos, que estavam previstos para dezembro de 2011. Já no Rio, a conclusão do BRT Transcarioca será em dezembro de 2013, com um mês de atraso em relação à última previsão.

Mudanças
A primeira versão da matriz é de janeiro de 2010. À época, o Ministério do Esporte informou que o objetivo do documento era evitar o descontrole orçamentário dos Jogos Pan-Americanos de 2007, quando o governo federal teve que assumir os gastos da prefeitura carioca e do governo do Rio.

A matriz lista o valor, o cronograma e o responsável pelas obras de transporte e de estádios em cada uma das 12 cidades-sede do Mundial. O documento teve, então, que ser revisto em setembro de 2011, porque os prazos e orçamentos não foram cumpridos. 

Na nova revisão, o aumento do investimento em mobilidade urbana foi de R$ 698 milhões. O valor empregado pelo governo federal, porém, não mudou: R$ 7,38 bilhões. Já o custo para as esferas estadual e municipal subiu de R$ 3,96 bilhões para R$ 4,66 bilhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário